ROMARIA DO MIGRANTE.jpg

Quem Somos

O Serviço Pastoral dos Migrantes (SPM) é uma das ações da Igreja Católica no mundo. Entidade não governamental, sem fins lucrativos, fundada em 1985 por padres, bispos, religiosos e leigos, faz parte das Pastorais Sociais da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Tem como centro a pessoa humana e a defesa dos seus direitos, independente de raça, credo, cultura ou gênero. O SPM atua em diversas frentes: urbanos, rurais, temporários, nômades e refugiados.

Vinculado ao SPM, na região Nordeste está presente o SPMNE, atuando principalmente no estado da Paraíba, onde desenvolve atividades ligadas à educação e recuperação ambiental, protagonismo juvenil, acompanhamento a migrantes e imigrantes e na valorização dos agricultores e agricultoras do Semiárido paraibano através da formação e mobilização social para a convivência com o Semiárido e o apoio à agricultura familiar.

Destacam-se, entre as ações desenvolvidas: a Romaria do Migrante, a Semana do Migrante, a Acolhida a Refugiados e projetos tais como: Protagonismo Juvenil, Programa Um Milhão de Cisternas (P1MC), Programa Uma Terra e Duas Águas (P1+2), Cisternas nas Escolas e Casa do Migrante.

Nossa história

Na década de 90, Alfredo José Gonçalves (Pe. Alfredinho, missionário da congregação dos Padres Escalabrinianos, também conhecidos como padres Carlistas, por causa de seu fundador, São Carlos) iniciou sua atuação em João Pessoa-PB e passou a fazer visitas a quarenta alojamentos de cortadores de cana, com cerca de duzentas pessoas, a maioria localizada na Zona da Mata de Pernambuco e Paraíba. Procurando aprofundar o relacionamento entre os alojamentos e as comunidades de onde provinham os migrantes, o padre visitava os alojamentos em companhia do Sr. Domingos (Agente Pastoral do SPM) e Marilda Menezes (Professora da UFCG), e perceberam que a grande maioria dos trabalhadores migrantes eram oriundos dos municípios de Itatuba, Ingá, Fagundes e Mogeiro, no agreste paraibano.

Desse período até o ano de 2005, a Pastoral dos Migrantes sempre esteve vinculada à presença dos Padres Escalabrinianos, que animavam o trabalho junto aos migrantes com uma equipe de leigos e leigas, de diferentes municípios da Paraíba. Com o fechamento da missão Escalabriniana na Paraíba, esse grupo de leigos e leigas decidiu dar continuidade às ações desenvolvidas, ainda que com dificuldades pela falta de estrutura e condições de trabalho pastoral. Por isso, sentiram a necessidade de criar uma personalidade jurídica, que viesse a possibilitar a elaboração de projetos e o acesso a recursos públicos e da cooperação internacional, a fim de qualificar a atuação junto aos migrantes e suas comunidades. Depois de quatro anos nasceu a associação Serviço Pastoral dos Migrantes do Nordeste, no dia 09 de novembro de 2008, data da Assembleia de Fundação do SPMNE.

Nesses tempos, o SPMNE deu continuidade ao trabalho iniciado pelos padres e pôde ampliar sua atuação, através de parcerias, contratos e convênios, a exemplo dos Programas de Formação e Mobilização Social para a convivência com o Semiárido, desenvolvido no Agreste paraibano, do Projeto de Protagonismo Juvenil, na periferia de Bayeux, de ações de combate ao trabalho escravo e do acolhimento a refugiados, através da Casa do Migrante, em Jacumã, município de Conde.

A parceria com a de Rede Articulação do Semiárido Brasileiro – ASA Brasil, a qual conta com mais de três mil organizações em sua composição, tem como missão, a mobilização e o fortalecimento da agricultura familiar por meio das ações do Programa de Convivência com o Semiárido e traz como eixos centrais:

  •  o acesso, controle e gerenciamento da água para o consumo humano e para a produção a partir da implementação de tecnologias de captação de água das chuvas;

  • promoção da segurança e soberania alimentar e autonomia produtiva das famílias, estimulando a formação de unidades produtivas familiares diversificadas com base nos princípios da agroecologia e do Bem Viver;

  • defesa do acesso à educação do campo gratuita, de qualidade e contextualizada;

  • o fortalecimento das associações locais, da auto-organização das comunidades;

  • a articulação com redes de defesa de direitos, conselhos, ampliando os laços e práticas coletivas solidárias e atuando com capacidade política e autonomia na proposição e controle social de políticas públicas.

Missão - Horizonte - Princípios

MISSÃO.png

MISSÃO

Construir processos organizativos, defender os direitos humanos, econômicos, sociais, culturais e ambientais, sendo presença inculturada e profética no enfrentamento da migração forçada.

visão.png

VISÃO

Nossa incidência está no campo das políticas públicas, na sociedade e dentro dá própria Igreja Católica, em relação com outras Igrejas e religiões, aperfeiçoando a cada dia a nobre missão de acolher, proteger, 

promover e integrar, propondo sempre uma cidadania universal e uma humanidade sem muros.

valores.png

VALORES

Defesa integral dos diretos humanos; respeito à diversidade humana; acolhimento independentemente de cor/raça, sexo ou religião; valorização das pessoas e os processos coletivos; atuação em redes; vivenciamento de uma  comunhão constante com a ação social da Igreja no Brasil; defesa incondicionalmente, a convivência com os Biomas, de modo especial a Caatinga, que está dentro da classificação climática do semiárido.

DIRETORIA

PRESIDENTE

Shirley Luis da Silva

VICE-PRESIDENTE

Adriel  Luis da Silva

SECRETARIA

Luciene Martins Ferreira da Silva

TESOURARIA

Arivaldo José Sezyshta

CONSELHO FISCAL

Antonio Barbosa da Silva

Pedro José da Silva

Maria Amália da Silva

SUPLENTES

Aline de Andrade Martins

Auricélia Rossana da Silva Freitas

Maria Eunice Gustavo da Silva

COORDENAÇÃO COLEGIADA

Roberto Saraiva dos Santos

Maria Amélia da Silva

Arivaldo José Sezyshta

 
 
 
 
  • Facebook
  • Twitter
  • YouTube
  • Instagram
  • Whatsapp