Realizada a 24ª Romaria do Migrante em Fagundes/PB

Não se Trata apenas de migrantes, e sim de humanidades”

“A esperança do Pobre não se frustrará” Sl 9.



A 24ª Romaria do Migrante, ação profética e evangelizadora, promovida pelo Serviço Pastoral dos Migrantes do Nordeste, celebrada na cidade de Fagundes-PB na paróquia de São João Batista, aconteceu no último domingo dia 10 de Novembro de 2019, e tem por tradição em sua caminhada, trazer temas significantes para ação da Igreja no Mundo.

Nesta ano, onde celebramos 25 do Serviço Pastoral dos Migrantes do Nordeste, não foi diferente, juntamos a declaração do Papa Francisco para o Dia Mundial dos Migrantes e Refugiados: “Não se Trata apenas de migrantes, e sim de humanidades” e em consonância com a III Jornada Mundial dos Pobres, também exortada pelo Santo Padre o Papa Francisco, “A esperança do Pobre não se frustrará” Sl 9.

Assim saímos da Igreja Matriz de Fagundes, em sua tradicional caminhada até a pedra de Santo Antônio, na Serra do Bodopitá, após a celebração Eucarística, presidida pelo padre Daniel e concelebrada pelo padre Sérgio, sacerdote que é responsável pelo Vicariato Para a Caridade, Justiça e Paz da Diocese de Campina Grande.

Numa construção coletiva, entre o SPM NE, a paroquia e o Vicariato, tivemos mais uma vez, uma Romaria, fervorosa, com compromisso social com os migrantes e com os mais empobrecidos, dando ênfase ao protagonismo desses sujeitos da história e de nossa Igreja.

A chegada dos Romeiros, foi marcante, o dia raiando, Igreja de braços abertos para acolher e antes mesmo da celebração iniciar, a Matriz já estava lotada, animando a todos e todas que chegavam.


Durante o percurso dessa caminhada tivemos três paradas de reflexão, chamando atenção para os temas e ao mesmo tempo, podíamos ver a diversidade de romeiros e romeiras que chegavam das comunidades de Fagundes e de outras cidades vizinhas, algumas da diocese de Campina Grandes e outras da Arquidiocese da Paraíba, também este ano, fomos agraciados com a presença de migrantes e refugiados da Venezuela, acolhidos em nosso Estado.






Não podemos deixar de parabenizar aos paroquianos e paroquianas envolvidos neste organização e também nos alegrar com a presença de uma juventude pujante, mais também dos fieis de todas as romarias já realizadas. É um momento de Graça!


A chegada à Pedra de Santo Antônio, é sempre um motivo de suspiro, de beleza natural, de um ambiente poético e de oração, como diz o Papa Francisco na Laudato Si, encíclica que coloca a mãe terra como fonte de inspiração da teologia, da Vida em abundancia. Neste local, foram abençoados os pães de Santo Antônio, que tradicionalmente é distribuído aos fiéis, gesto de partilha e que nos remete a Jesus, na multiplicação dos pães. Nesta hora, o padre Sérgio, fez um aprofundamento do significado da III Jornada Mundial dos Pobres, e concluiu convidando a todos e todas presentes a participarem das atividades que a Diocese está promovendo nesta III JORNADA MUNDIAL DOS POBRES.

Após o encerramento, era lindo de se ver as pessoas pegarem mais de um, dois, três até cinco pães para levarem para os idosos que já não conseguem fazer a caminhada, outros a levarem para outros Estados, de onde vieram e vêm todos os anos. Um dos depoimentos me chamou atenção. Uma Venezuelana, me disse que guardaria um pão abençoado daquele, para quando encontrasse sua família. Assim seja, Louvado seja N. S. Jesus Cristo.

0 comentário
  • Facebook
  • Twitter
  • YouTube
  • Instagram
  • Whatsapp