Casa do Migrante completa dois anos e ultrapassa a marca de 250 acolhidos

Em julho de 2018, 44 venezuelanos desembarcavam na Paraíba fugindo da crise social, política e econômica que assolava sua terra natal. Ao chegar em busca de uma vida nova, os estrangeiros inauguraram a Casa do Migrante, literalmente abrindo as portas para centenas de outros refugiados.

Dois anos depois, o projeto do Serviço Pastoral do Migrante da CNBB Nordeste 2 (SPM NE2) ultrapassou a marca de 250 pessoas beneficiadas com a acolhida de mais 28 venezuelanos, esta semana. Os recém-chegados são os primeiros abrigados desde o início da pandemia do novo coronavírus no Brasil.

Seguindo o protocolo de saúde, os 28 venezuelanos foram testados para Covid-19 e submetidos ao período de 14 dias de quarentena ainda em Roraima, porta de entrada dos migrantes da Venezuela no território brasileiro. Com o apoio da Secretaria de Saúde de Conde, região metropolitana de João Pessoa, os acolhidos, agora na Casa do Migrante, estão confinados, com acompanhamento médico e deverão ser testados mais uma vez.


Recomeço

Após receberem alta médica, os venezuelanos darão início ao programa que a Casa do Migrante oferece aos acolhidos. Dividido em três passos, o serviço atua na identificação das potencialidades dos estrangeiros para o trabalho, na inserção de todos às políticas públicas e a capacitação para empreender na perspectiva da economia solidária.

Os migrantes também têm acompanhamento psicossocial e aulas de língua portuguesa, oferecidos em parceria com a Universidade Federal da Paraíba (UFPB). Todo o processo é vivenciado pelos migrantes durante o período de três meses podendo, em casos específicos, ser estendido. Estima-se que 95% dos atendidos pela casa conseguem se estabelecer no Brasil.


Parcerias

A Casa do Migrante conta com uma equipe fixa de nove pessoas responsáveis por toda dinâmica da residência. Além deles, o projeto tem uma rede de voluntários que auxiliam os beneficiários com serviços ou doações materiais.

Entre os principais parceiros, estão a UFPB, a Cáritas Suíça, o Ministério Público do Trabalho (MPT) e a Arquidiocese da Paraíba.

“A Casa do Migrante é uma experiência exitosa graças às parcerias, principalmente, da Igreja e seus organismos que contribuem bastante com o projeto”, afirma Roberto Saraiva um dos fundadores do projeto e membro da coordenação nacional do SPM.

Para ajudar a Casa do Migrante, os interessados podem entrar em contato pelos telefones (83) 98801.2417 / 98816.8320 / 99831.2749. Para doações em dinheiro é possível contribuir por meio da Conta corrente: 25470-3, Agência 1345-5 do Banco do Brasil.


Fonte: http://cnbbne2.org.br/casa-do-migrante-completa-dois-anos-e-ultrapassa-a-marca-de-250-acolhidos/
0 comentário
  • Facebook
  • Twitter
  • YouTube
  • Instagram
  • Whatsapp